Home / Internacional / Número de mortos no Nepal passa de 3.800; brasileiros são atingidos no país

Número de mortos no Nepal passa de 3.800; brasileiros são atingidos no país

Terremoto no Nepal – O governo nepalês afirmou que há pelo menos 7 mil feridos. O Unicef estima que pelo menos 940 mil crianças foram gravemente atingidas na região que inclui os distritos de Dhading, Gorkha, Rasuwa, Sindhupalchowk e Kathmandu.

People clear rubble in Kathmandu's Durbar Square, a UNESCO World Heritage Site that was severely damaged by an earthquake on April 25, 2015. A massive 7.8 magnitude earthquake killed hundreds of people April 25 as it ripped through large parts of Nepal, toppling office blocks and towers in Kathmandu and triggering a deadly avalanche that hit Everest base camp. AFP PHOTO / PRAKASH MATHEMA

People clear rubble in Kathmandu’s Durbar Square, a UNESCO World Heritage Site that was severely damaged by an earthquake on April 25, 2015. A massive 7.8 magnitude earthquake killed hundreds of people April 25 as it ripped through large parts of Nepal, toppling office blocks and towers in Kathmandu and triggering a deadly avalanche that hit Everest base camp. AFP PHOTO / PRAKASH MATHEMA

Neste sábado (25), o Nepal foi surpreendido por um devastador terremoto, que está sendo considerado o pior dos últimos 80 anos. O tremor, de magnitude de 7.8, já registrou mais de 3.800 mortos.

De acordo com disse um responsável da ONG Médicos Sem Fronteiras, o número de mortos poderia ser ainda pior. As organizações humanitárias estão tendo dificuldade em avaliar a catástrofe, segundo ele.

O governo nepalês afirmou que há pelo menos 7 mil feridos. O Unicef estima que pelo menos 940 mil crianças foram gravemente atingidas na região que inclui os distritos de Dhading, Gorkha, Rasuwa, Sindhupalchowk e Kathmandu.

Na capital Katmandu, pessoas passaram a noite ao ar livre ou em cabanas, temendo novos abalos. Durante a manhã, ocorreram novos tremores na região, uma delas de magnitude 6.7.

Na Índia, autoridades estimam que 57 pessoas morreram. A TV estatal chinesa informou que 17 pessoas morreram na região do Tibete.

Os EUA e a União Europeia prometeram enviar ajuda. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que as “Nações Unidas estão apoiando o governo do Nepal na coordenação das operações internacionais de busca e resgate e estão se preparando para organizar um grande esforço de assistência”.

“Temos colocado todos os nossos recursos para a busca e resgate”, disse o porta-voz da polícia nacional, Kamal Singh Bam. “Enviamos helicópteros para as áreas remotas e estamos fazendo buscas em escombros de edifícios para tentar encontrar alguém.”

No Everest, onde o terremoto causou avalanches, seis helicópteros retiraram feridos que estavam no acampamento-base, a 5.000 metros de altitude.

Brasileiros atingidos

No momento em que um terremoto aconteceu, muitos brasileiros estavam no país. O Itamaraty afirmou que não há, até o momento, informações sobre brasileiros entre os mortos e disponibilizou o telefone (61) 8197-2284 para as famílias que estão em busca de informações.

Segundo a embaixadora do Brasil em Katmandu, Maria Teresa Pessôa, está difícil contatar os brasileiros que estão no país.

O missionário Antenor Aparecido dos Santos, de Mogi das Cruzes (SP), vive no Nepal há 8 anos. Por causa do terremoto, está isolado em uma área de montanhas com um grupo de fiéis, mas passa bem e conseguiu entrar em contato com a família.

O Portal Guiame teve acesso a um arquivo de áudio, enviado pela missionária brasileira Kelly Pineiro Bevilacqua, com notícias sobre sua situação, de sua família e também da Organização Cristã onde trabalha atualmente, naquele país.

“Todo mundo do nosso ministério está bem, graças a Deus. Foi um susto muito grande. Todas as casas tremeram bastante. A maioria das nossas crianças estavam na igreja, na hora [do terremoto]. Foi muito difícil voltar para casa, porque as ruas racharam. Nós estamos dormindo dentro de carros. Estamos todos sob alerta, porque ainda sentimos tremores. Estamos todos bem, mas com muito medo, porque morreram muitas pessoas aqui”, relatou.

 

Fonte: IBB News / G1 / Folha de SP

Leave a Reply